O acesso das mulheres no espaço acadêmico e na produção cientifica possui um processo histórico de longa duração . As lutas para se tornarem intelectuais, artistas não algo permitido para as moças consideradas “de família” e preparadas para o casamento.Somente as cortesãs  na Grécia, participavam dos “ baquetes” e as que viveram nas cidades italianas:  eram as únicas a ter acesso à educação e podiam adquirir  propriedades.

Mesmo reconhecendo os avanços a situação no mundo contemporâneo ainda é adversa. Em 2016, na USP uma pesquisa demostrou a sub representação feminina em áreas da Computação:  15% estavam na ciência de Computação, 10% no Sistema de  Informação e 6% na Engenharia . As razões para isso são  de vários níveis , no entanto observamos  que há a permanência dos papeis de gênero que interferem diretamente na situação de acesso e de inclusão das mulheres em áreas  tecnológicas e aquelas consideradas hard”.

Mulheres lutam por mais espaço e inclusão em empresas de tecnologia

Em Programa produzido pela FAPESP em parceria com a Folha/SP mostrou as dificuldades  de muitas mulheres para conciliar a Maternidade, Família e a Vida Cientifica. Ainda há um longo  caminho. a percorrer e lutar.

https://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2018/08/assegurar-inclusao-de-mulheres-melhora-a-qualidade-da-ciencia.shtml

 

 

 

.