O Calendário Nacional  Brasileiro celebra o Dia do Índio. 19 de abril , sempre  comemorada com narrativas perpassadas por uma visão heteronormativa onde os indígenas  como seres  abstratos sempre aparecerem  no cenário publico sem a discussão necessária sobre as suas vidas e na condição de sobreviventes em sua própria terra.  .

O Portal Catarinas traz  novas olhares  e novas vozes através da denuncia  de Amaue Jacintho, indígena  Guarani Nhandeva, do Paraná. As questões   de debates são primordiais  envolvendo território, corpo, saúde em um contexto  etnocida  onde  os Povos Indígenas em nosso país  estão imersos desde a colonização ao silencio de suas existências, ao desaparecimento intencional de suas culturas  e o assassinato de suas lideranças

Amaue Jacintho, 34 anos, é estudante de Ciência Sociais da Universidade Estadual de Londrina (UEL).. No   início da pandemia, em abril 2020,  ao vivenciar as violências e injustiças na Terra Indígena (TI) São Jerônimo, no Norte do Paraná, a indígena Guarani Nhandeva decidiu  utilizar suas redes sociais  para dar apoio  às mulheres vítimas de ameaças, xingamentos, espancamentos, entre outras violações.

 

As mulheres res indígenas e suas famílias tiveram suas casas incendiadas e foram expulsas da Terra Indígena por não aceitarem as opressões patriarcais, machistas e misóginas O conflito ocorreu na terra que é compartilhada dividida  por três povos: Guarani, Kaingang e Xetá.  Diante das violações ( casa invadidas e pertences roubados) prestaram queixa  na  Delegacia de Polícia para registrar um   o Boletim de Ocorrência, sendo informadxs pela policia que essa nãoi  poderia intervir. Por que? Alianças  associadas à  conivência politica dos poderes locais com os grandes empresários do agronegócio? 

O desmatamento aumenta substancialmente com a interferência do grande capital e do governo.  Trata-se de um crime ambiental que o Brasil vem sendo acusado por não cumprir  os protocolos assinados.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais/INPE  confirma  que desmatamento no pais  cresceu 9,5% entre agosto de 2019 e julho de 2020 quando comparado com a temporada anterior  e essa politica destrutiva tem interferido diretamente na vida das comunidades indígenas da região.

Ver  Portal Catarinas  – .Filhas da Terra: Amaue, a mulher indígena que vive refugiada durante a pandemia | Portal Catarinas   e https://g1.globo.com/natureza/noticia/2020/11/30/amazonia-teve-11-mil-km-de-desmatamento-entre-agosto-de-2019-e-julho-de-2020-aponta-inpe.ghtml

 

Série histórica com dados de desmatamento na Amazônia segundo o Prodes até 2019/2020. — Foto: Arte/G1