As Mulheres Negras  exigem serem cidadãs: lutam pela democracia

Hoje , Dia  internacional da Mulher Negra , América latina e Caribenha .
No Brasil  as mulheres negras são  cerca de 25% da população e  tomam as ruas para denunciar a violência a que são submetidas diariamente no país e na América Latina.
 Conforme o  Atlas da Violência 2019, do FBSP, “75,5% das vítimas de assassinato em 2017 eram negros.

Pessoas negras ou pardas têm no Brasil 2,7 maiores chances de serem assassinadas do que os não negros. .

“De acordo com o Atlas, foram registrados 65.602 homicídios em 2017, sendo 35.783 jovens, a maioria negros, pobres e da periferia. Essa “política de genocídio corresponde a uma estratégia que tem se apresentado nas estatísticas de desemprego, de redução de investimentos em educação, saúde, moradia, e com a explosão da violência nos grandes centros urbanos”, .https://groups.google.com/forum/?utm_medium=email&utm_source=footer#!msg/legh/xFcfA_q1yn0/De0hUSLVCgAJ

Resultado de imagem para Dia Internacional da Mulher negra