Superado o período de guerras, traumas, genocídio ( 1994: com a morte de 800 mil tutsis e o estupro de mais de 500 mil mulheres)  Ruanda com uma população  70% feminina, iniciou um processo de recuperação e construção do país.

A Constituição de 2003, determinou a igualdade de gênero da educação, posse de terras e na economia.

O sistema de cotas na politica , coloca o pais, entre os cinco do mundo em participação politica , sendo o 1º na  Africa  com 61% de mulheres nas lideranças das comunidades.

Sobreviventes do extermínio  e viúvas recebem assistência da Fundação Ruanda.

Porém ainda possui muitos problemas a resolver: a violência domestica é significativa no país.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/01/1953864-com-maioria-feminina-no-parlamento-ruanda-ajuda-mulheres-a-empreender.shtml