A autora do livro,  Jokha Alharti é  originada de Omã, pais da Península  Arábica. Seu romance  alcançou uma das honrarias literárias de maior prestigio do  Reino Unido – o  prestigioso Man Booker International Prize.. Intrigada com a sua  proposta e o interesse em conhecer um pouco mais sobre as mulheres no mundo árabe comecei a leitura. Ela  expõem as tradições  quase extintas da região  e, faz uso das memorias para criar seus personagens , moradoras e moradores  em  três gerações  de uma povoação fictícia, vila de al-Awafi, próxima a capital, Mascate.

Sua perspectiva de gênero  expõe personagens masculinos melhor sucedidos  do  que os femininos, embora ambos podem sair derrotados em suas empreitadas. .

O passado e o presente contemporâneo circulam em sua narrativas, e dentre  dentre os 30 personagens, sendo a maioria mulheres, a  feminilidade é representada e ajustada às mudanças politicas, econômicas e culturais do país. Ela observa à todxs e capta as emoções e as subjetividades de cada um , a partir de vários ângulos que expressam  situações distintas diante da vida. Ela mesma ressaltou:” a felicidade  e completamente diferente de pessoas a pessoa”.

A ficção se aproxima da realidade com uma linguagem  apropriada que nos toca e nos faz participar da jornada.

‘Damas da Lua’, de Jokha Alharthi, fala sobre o Omã moderno e as perdas e amores de uma família