Após vários desafios e casos silenciados arqueólogas brasileiras criaram um Zine Feminista  para enfrentar casos de assedio sexual , constrangimentos no trabalho de campo. Como elas mesma ressaltam  ” Se para você as agressões ficam em campo, para nós elas se prolongam para a vida! Mesmo que as opressões físicas sejam mais facilmente reconhecidas, freqüentemente outras formas são invisibilizadas ou naturalizadas e passam por piada, mérito pessoal, coisa “à toa” e até “cavalheirismo”

É a forma de resistência e de luta  de mulheres cientistas para alertar, e apoiar  estudantes e pós graduandas  que vão  à campo e enfrentam uma seria de situações de  assedio praticados por pesquisadores. Trata-se do espaço acadêmico e cientifico onde as relações de gênero , de poder permanecem colocando as mulheres em situação de subalternidade.

https://arqueologiaeprehistoria.files.wordpress.com/2015/10/souza-et-al-2015-zine-sobre-o-machismo-e-a-arqueologia.pdf