Não  ficamos  omissxs diante dos  constrangimentos  e das agressões  enfrentadas pela  filosofa  e feminista Judith Butler em sua passagem pelo  Brasil (Seminário  ” Os fins da democracia”- SESC/ Pompéia – SP) .Os defensores da ” ideologia de gênero” evidenciando total ignorância e de forma acrítica, lideraram um movimento que para nós  subverteu a noção da  ética, da dignidade e o respeito pelas diferenças sexuais e da violência de gênero cotidiana  que expõe  o feminicídio com alarmantes  estatísticas. Desconhecem  os pressupostos científicos que autora vem defendendo. desde um dos seus livros lançado em 1989, ” Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade”,( Civ. Brasileira)  onde colocou uma questão primordial:” os significados do masculino e do feminino  são determinados pelas instituições da família heterossexual e da ideia  de nação que impõe uma noção conjugal  do casamento e da família? E continua:   Como inserir famílias queers, travestis que possuem outras formas de convívio e afeto? Sua resposta  vai ao encontro da democracia que defendemos: ” encontramos apoio e afeto através  de muitas formas sociais, incluindo a família que possui  estrutura, significado e formação histórica  que se transformaram ao longo do tempo  e do espaço.

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2017/11/1936103-judith-butler-escreve-sobre-o-fantasma-do-genero-e-o-ataque-sofrido-no-brasil.shtml