A nova Lei  altera o Código Penal  ampliando o rigor  diante de crimes como  a importunação sexual , do  estupro coletivo (  homens que se masturbarem ou ejacularem em mulheres em locais públicos)  e  casos de divulgação de imagens de sexo sem consentimento . Embora haja divergentes quanto a  uma ação pública incondicionada, isto sem o “ aval da vitima” , uma vez o processo será conduzido retirando  das mulheres a autonomia de conduzir , decidir  a investigação, para outros agentes  e delegadas trata-se de um  avanço  porque agora os crimes serão investigados  com escuta especializada, que aplicara a pena instituída.Em 2017 foram registrados no país 61 mil estupros, fazendo crescer em 68% a taxa desde 2009. Pesquisa “ A Vitimização de Mulheres no Brasil/ Data Folha e Fórum Brasileiro de Segurança Pública ( 2017-2018)

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/10/vitima-pode-ficar-mais-exposta-com-nova-lei-de-protecao-as-mulheres.shtml