As Universidade da inglaterra  diante da Ementa de Lei das Relações Raciais ( 2000)  que exigiu que todas as instituições  do setor público elaborassem planos de ação sobre a igualdade racial e  outras leis que vieram – Lei da Igualdade ( 2010)- exigindo  que políticas diversas confluíssem para um documento:  o  Plano  Único de Igualdade.

Essa regulamentação levou as Universidades a contratar agentes  de diversidade para implementar  estratégias e ações que viessem enfrentar as questões de Raciais e de Gênero.

https://www.theguardian.com/education/2020/mar/13/universities-traumatise-student-sexual-misconduct-survivors-by-mishandling-cases

Segundo Sara Ahmed, em seu livro Vivir una Vida Feminista,  2018 ela narra a experiência que enfrentou na Universidade de Goldsmith, como uma das contratadas e não foi  positiva, o que a levou a pedir seu desligamento  do cargo que exercia, justamente  para dar suporte à politica de enfrentamento  da Diversidade e o Assedio Sexual. .

O trabalho com a diversidade é descrito, por ela, como uma sensação de enfrentar  algo que não se move; é sólido e  que bloqueia os esforços, embora as  tarefas  sejam o cobradas .( ela se apoia na imagem de um muro de tijolos que todos os  dia é preciso enfrentar e bater a cabeça.). Reforça que : Existe o desejo da instituição de institucionalizar a diversidade porém  propor a ideia não significa que ela esteja receptiva. Muitas vezes o que foi proposto não funciona sendo preciso averiguar e constata-se que há mecanismos que impedem a transformação do sistema. Ela descreve como um “trabalho de fontenería institucional  ( enganamento institucional) “ ( AHMED, 2018, pag. 139)

Students attempting to report staff sexual misconduct have found that the process was lengthy, traumatising, and ultimately failed to keep them safe.

Students attempting to report staff sexual misconduct have found that the process was lengthy, traumatising, and ultimately failed to keep them safe. 9Photograph: Astrakan Images/Alamy Stock Photo/Alamy Stock Photo Tradução livre:Os estudantes que tentaram denunciar a má conduta sexual dos funcionários descobriram que o processo foi demorado, traumatizante e, finalmente, não conseguiu mantê-los seguros.)https://www.theguardian.com/education/2020/mar/13/universities-traumatise-student-sexual-misconduct-survivors-by-mishandling-cases

No Brasil .enfrentamos uma situação semelhante e com  muitas resistências. O Sistema de Cotas  sistema de cotas tornou-se conhecido em meados dos anos 2000, inicialmente pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ),. enda esta  a primeira universidade do país a criar um sistema de cotas em vestibulares para cursos de Graduação  e pela   Lei nº 12.711/2012,  veio a exigência  de “ reserva de 50% das matrículas por curso e turno nas 59 universidades federais e 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia a alunos oriundos integralmente do ensino médio público, em cursos regulares ou da educação de jovens e adultos. As cotas raciais so foi implantada em  2014, diante dos movimentos sociais e do feminismo negro.

Ainda há muito que lutar para que todxs e todes tenham o lugar como cidadãos na Unvresidade Pública Brasileira.